Stress da mãe pode influenciar na Asma da criança






O papel do estresse na asma não é compreendido, mas estudos realizados em animais sugerem que o estresse pré-natal pode influenciar o sistema imunológico do bebê no útero. Porém é conhecido que a asma é mais prevalente em cidades do interior, onde as minorias e pessoas desfavorecidas vivem em condições cada vez mais estressante, acrescentaram os pesquisadores.

"Este é o primeiro estudo em humanos a fim de confirmar a investigação a partir de estudos realizados em animais que demonstram que o estresse experimentado por mães durante a gravidez influencia sistema de desenvolvimento imunológico de seus filhos a partir do útero", disse o pesquisador Dr. Rosalind Wright, um médico associado do  Brigham and Women's Hospital e professor adjunto da medicina na Harvard Medical School, em Boston.

"O trabalho pode apontar para a necessidade de planejar intervenções e estratégias para reduzir o estresse nas mulheres grávidas, para reforçar tanto ao bem-estar da mãe quanto a redução do risco de doenças crônicas em seus filhos, como a asma", disse ele.

Para o estudo, a equipe de Wright pesquisou mulheres grávidas em várias cidades, incluindo Boston, Baltimore, Nova York e St. Louis. As mulheres eram em sua maioria de minorias étnicas e 20 por cento vive abaixo do limiar da pobreza.

Em cada uma das 557 famílias, uma mãe ou um pai tinha um histórico de asma ou alergia.

Todas as famílias responderam a um questionário que perguntava sobre o stress que vivia, como a violência doméstica, as preocupações do dinheiro e da violência na comunidade.

Depois que os bebês nasceram, um grupo de Wright tomou amostras de sangue de cordão umbilical. Eles usaram essas amostras para testar reações aos alérgenos diversos, tais como poeira e baratas.

Crianças nascidas das mães que tiveram um grau de stress maior, tiveram uma reação diferentes quando estimulados comparados aos bebês nascidos de mães que relatam menos estresse, disse Wright.

Os investigadores estavam particularmente interessados na produção de citocinas, que são proteínas liberadas por células do sistema imunológico que ajudam a regular as respostas imunes.

"Os padrões de citocinas no grupo de maior stress foi um indicador de como o sistema imunológico da criança está a funcionando no nascimento e responde ao estímulo dado do ambiente e pode ser considerado um marcador de aumento de risco para desenvolver asma à medida que envelhecem", disse Wright.

A equipe de Wright pretende seguir os filhos como eles crescem para ver se eles estão em maior risco de desenvolver asma ou alergias.

Dr. Steven E. Lipshultz, presidente da pediatria na Universidade de Miami Miller School of Medicine, disse que estes resultados não são surpreendentes, mas se prever o risco de uma criança de asma ou outras alergias não é clara.

"Esta é uma descoberta intrigante", disse Lipshultz. "Não é surpreendente, os estudos pré-clínicos têm apoiado esta idéia,  o que é novo aqui é que é o primeiro estudo em humanos."

Lipshultz referir que, durante os primeiros meses de vida o bebê é protegido pelo sistema imunológico da mãe. "Então, o bebê tem que começar a fazer suas próprias respostas do sistema imunológico", explicou.

É por isso que é difícil levar estes resultados para a próxima fase, Lipshultz disse: "Este estudo não pode dizer, com base no fato de uma mãe é estressada durante a gravidez, que a criança será mais saudável ou doente de asma e doenças alérgicas." Ele disse que a única maneira de saber se a acompanhar essas crianças à medida que crescem.

Outro especialista, o Dr. Andrew R. Colin, diretor da divisão de pediatria pulmonar e co-diretor do Cystic Fibrosis Programa Pediátrica na Universidade de Miami Miller School of Medicine, disse que o estresse é um fator de risco conhecido para a asma.

"Mas este é um entendimento completamente diferente do [etiologia da asma], que é transmitido de geração para geração - esta é realmente interessante", disse ele.

"Essa imunidade da mãe é realmente modificada por estresses no ambiente e transmite para a próxima geração não é nova. Há dados que ele vai mesmo para a terceira geração ", disse ele. "Mas o fato de que o estresse é o papel principal como moderador da imunidade, eu acho que é realmente interessante."

O relatório é publicado em 18 de março edição online do American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine.

Postado por Dani Souto. Contato: danisouto@gmail.com
Stress da mãe pode influenciar na Asma da criança Stress da mãe pode influenciar na Asma da criança Editado por Dani Souto on 05:14 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.