Nebulização: escolha certa ou errada?









Os aparelhos para nebulização foram um dos primeiros dispositivos usados para inalação de medicamentos no tratamento da asma e se tornaram muito populares nos últimos anos. O modelo mais conhecido é composto por um compressor ligado à corrente elétrica que fragmenta o medicamento líquido em partículas formando uma névoa, que é inalada e transportada até os pulmões através da respiração.

Ter um aparelho para nebulização em casa pode ajudar num momento de crise, evitando-se a ida a um serviço de emergência, em especial durante a noite. Algumas pessoas tendem a usar o aparelho como se fosse o único tratamento para a asma. Outros, até mesmo usam como sinônimo de medicação e chegam a dizer: -"Doutor, eu estava em crise, fiz uma nebulização e melhorei", ou seja, sem ao menos referir o nome do medicamento usado. É importante estar ciente de que a nebulização nada mais é do que um método para inalar um medicamento.

Existem dois tipos de aparelhos disponíveis para venda: os modelos tradicionais a jato e os ultrassônicos. Os primeiros, funcionam através de uma corrente de ar ou oxigênio comprimido que quando projetada em grande velocidade sobre uma solução nebulizável, rompe-a em pequenas moléculas e origina um aerossol. Nos aparelhos ultrassônicos, o aerossol é produzido por ultrassons gerados ao se fazer vibrar um transdutor ou um cristal piezoelétrico sobre um líquido, geralmente entre 1 e 3 MHz.

Os medicamentos mais usados através de nebulizadores são os broncodilatadores (Berotec, Aerolin, Atrovent), com efeito de alívio nas crises de asma. Entretanto, outras medicações podem ser utilizadas, como por exemplo os corticóides inalados (Clenil A, Pulmicort), com objetivo não apenas de alívio, mas como tratamento de controle da asma.

Vantagens da nebulização:
- Técnica de uso é simples, facilitando uso em crianças, idosos e pessoas com dificuldade na coordenação motora.
- Uso facilitado nas crises, mesmo naquelas mais graves, pois não necessita de manobra respiratória especial.
- Pouca deposição do remédio em orofaringe
- Podem ser misturados vários medicamentos numa mesma inalação.

Desvantagens:
- Dificuldade no transporte e na montagem do aparelho, em especial na hora da crise,
- Necessita energia elétrica,
- Barulho é incômodo, em especial à noite,
- Risco de contaminação,
- Demora para inalar a dose,
- Necessita de manutenção e esterilização dos componentes.

Como fazer uma nebulização:
Colocar a medicação no recipiente, usando soro fisiológico, num volume médio de 2ml. Não se recomenda o uso de água destilada como diluente.
Sentar-se com as costas eretas e posicionar a máscara ou o bocal em direção à boca, que deve permanecer aberta durante todo o processo.
Respirar lenta e profundamente aguardando até o vapor se extinguir.

Após o uso, desmonte e lave com sabão ou detergente neutro. Depois de lavado, coloque o material de molho por 30 minutos em solução germicida (pode-se também usar solução caseira feita com 500ml de água sanitária e 500 ml de água filtrada ou fervida). Lave novamente em água corrente (coloque sob o jato da torneira por alguns minutos). Depois, deixe secar bem e guarde em local fresco e livre de pó ou foco de mofo.

Erros mais comuns:
- Colocar grande quantidade de soro
- Usar máscara afastada do rosto (o vapor se espalha e prejudica o resultado)
- Fazer a nebulização com a criança dormindo, deitada ou usando chupetas.

Dicas:
- Peça ao médico que indique o medicamento e a dose adequada para evitar pânico na hora da crise.
- Procure fazer a nebulização em local calmo, com a pessoa sentada e com as costas eretas. Crianças pequenas devem ser colocadas no colo.
- Não fale durante o procedimento.
- Para uso de corticóides inalados, preferir os aparelhos a jato e usar bocais ao invés de máscaras para proteger os olhos.
Nebulização: escolha certa ou errada? Nebulização: escolha certa ou errada? Editado por saude.chakalat.net on 11:00 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.