Nova linha de tratamento contra a asma








Só quem é asmático ou tem algum familiar com a doença sabe como é ruim conviver com seus sintomas. Entre eles, tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito. No Brasil, a estimativa é que 10% da população sofram desse mal, segundo dados do International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). Não é à toa que a asma é responsável, no País, por aproximadamente 350 mil internações hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS) por ano.

Agora, um novo medicamento inalatório a base de corticoide promete controlar a doença de maneira eficaz em apenas uma única dose diária, o que diminui os efeitos colaterais. Segundo o laboratório Mantecorp, responsável pela distribuição do Oximax®* (furoato de mometasona) no Brasil, o remédio tem maior potência anti-inflamatória, permitindo que atue por 24 horas.

O pneumologista Rafael Stelmach, do Instituto do Coração (InCor) no HC-FMUSP, explica que o medicamento é indicado para quem tem asma moderada a grave, com sintomas semanais. "O interessante para o paciente é a dosagem muito baixa, que deve ser ingerida uma vez por dia, à noite, visando diminuir os sintomas quando eles são mais frequentes, ou seja, durante a madrugada e no começo e da manhã", garante o médico.

Segundo Stelmach, a grande diferença do furoato de mometasona para os medicamentos já disponíveis é a aderência. "Há dez anos atrás, a medicação era dada a cada seis horas. A tendência agora é que as doses diminuam cada vez mais, entretanto ainda estamos buscando o corticoide ideal, em que uma dose muito baixa não ofereça efeitos colaterais".

A doença em números
Geralmente a asma surge na infância e, por ser uma doença crônica, não tem cura, mas sim tratamento. Ele deve ser feito de maneira preventiva e prolongado, por meio de corticoides e broncodilatadores inalatórios, que são os medicamentos que se mostraram mais eficazes contra a doença até hoje.

Segundo o pneumologista, o paciente necessita de acompanhamento constante, pois está sempre vulnerável aos fatores desencadeadores da crise, como mudanças bruscas de temperatura, poeira doméstica, pelos de animais, mofo, cigarro, poluição, entre outros fatores.

É muito importante cuidar da doença mesmo que as crises não sejam frequentes. Se não for controlada adequadamente, a asma pode levar o paciente à morte - o número de óbitos no Brasil chega a 2,5 mil por ano, sendo que 70% deles ocorrem em idosos e 30% em crianças, jovens e adultos.

Quanto aos cuidados que o asmático deve ter, o pneumologista explica que, além de evitar poeira e cigarro, o paciente precisa deixar a casa limpa e sem carpete. "Se possível, a pessoa deve passar pano com água no chão diariamente", diz. Segundo Stelmach, na hora de dormir, quem tem asma também deve tomar alguns cuidados, como ter um travesseiro antialérgico e não deixar animais de estimação na cama.
Nova linha de tratamento contra a asma Nova linha de tratamento contra a asma Editado por saude.chakalat.net on 10:23 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.