Profissional habilitado e a Asma





https://s3.amazonaws.com/s3.saudecuriosa.com.br/2015/Apr/asmacapa-1429806250297.jpg

As IV Diretrizes Brasileiras para o Manejo da Asma, definem asma como sendo uma doença inflamatória crônica que se caracteriza por uma broncoconstrição muito aumentada das vias aéreas inferiores, ou seja, por um estreitamento de pequenos canais por onde o ar passa nos pulmões e por variável limitação no fluxo de ar, que pode ser reversível espontaneamente ou por intermédio de medicação.

Clinicamente manifesta-se por episódios recorrentes de sibilância (chiado), dispnéia (falta de ar), aperto no peito e tosse, particularmente pela manhã ao despertar e no período da noite. Ela é apontada também como resultante de uma associação de fatores genéticos, exposição ao ambiente, à alérgenos, agentes irritantes e outros fatores específicos, característicos de cada paciente, que levam ao desencadeamento e recorrência dos sintomas.
Dados da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o manejo da Asma, apontam a asma como um problema de saúde que acomete certa de 300 milhões de indivíduos. Estima-se que no Brasil existam em média 20 milhões de asmáticos. Em 2011 o DATASUS registrou 160 mil hospitalizações, decorrentes de crises. Dado este, que colocou a asma como sendo a quarta causa de internações.

A principal característica fisiopatogênica da asma é o processo inflamatório brônquico, que resulta de uma complexa e ampla interação entre células inflamatórias, mediadores e células estruturais das vias aéreas. Esta se faz presente em todos os pacientes asmáticos, incluindo aqueles com asma de início recente, nas formas mais brandas da doença, inclusive nos indivíduos que são assintomáticos.

O diagnóstico da asma é baseado na anamnese, ou seja, na conversa do médico com o paciente, a fim de relembrar fatos que se relacionam com a doença, também no exame clínico, onde os sintomas são observados, e sempre que possível, nas provas que avaliam a função pulmonar, como a espirometria, que mede a velocidade e a quantidade de ar que um indivíduo é capaz de colocar para dentro e para fora dos pulmões, o pico de fluxo expiratório e outros testes adicionais. Além do teste de alergia, para indicar quais são os alérgenos relacionados às crises asmáticas daquele paciente,

A asma é uma condição que apresenta apenas controle, por isso o objetivo do tratamento é manter o paciente sem crises pelo maior tempo possível. Sendo assim, ele é dividido em tratamento de crise e tratamento de manutenção, e é definido baseado no estágio de gravidade em que a doença se apresenta.
O acompanhamento de profissional habilitado, associado ao tratamento farmacológico constitui um dos pilares fundamentais no tratamento da asma.

O auxílio ao paciente e aos familiares quanto à motivação, habilidades no uso dos medicamentos e confiança no tratamento, resultam em um impacto positivo na mudança de comportamento frente à patologia, o que auxilia no estabelecimento de vida normal a essas pessoas.

Profissional habilitado e a Asma Profissional habilitado e a Asma Editado por saude.chakalat.net on 11:26 Nota: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.